«

»

out 25

Aromaterapia Os cheiros que estimulam nossas memórias, brincam com nossos sentidos, alteram o humor e induzem à várias reações...

Hoje vamos falar dos aromas e da influência da aromaterapia em nossas vidas…

Aromaterapia - xícara de café

Cheirinho de café pela manhã

 

Já acordaram pela manhã e sentiram aquele cheiro bom de café pairando no ar e brincando com seu olfato?

A sensação é deliciosa… quase que indescritível!

Chega a ser um misto de emoções que aguçam a fome, a vontade, a alegria, o humor…

Até quem não bebe, implora por uma xícara!

 

E quando começa aquele “cheirinho de chuva” que remete à lembranças da nossa infância?

Aromaterapia - Barquinhos de papel

Barquinhos de papel

Faz a gente lembrar das brincadeiras de pular nas poças d‘água…

Lembramos dos barquinhos de papel escorrendo na água pela rua abaixo, e até da mamãe gritando pela janela para “sairmos da chuva” senão pegaríamos um belo resfriado?

 

 

 

 

E o que é essa tal de Aromaterapia afinal

Aromaterapia não envolve apenas essências compradas em mercados, velas aromatizadas ou sachês perfumados, vai muito além disso!

É uma terapia de natureza holística (estuda o todo, a globalidade).

Ela busca sempre integrar o equilíbrio físico, mental, emocional e espiritual.

A aromaterapia consegue fazer o “impossível”: uma brilhante ligação entre o olfato e os sentimentos.

Ao inalar aromas, os canais olfativos mandam mensagens diretamente para o sistema límbico, que é a parte do sistema nervoso responsável pelas emoções.

Pronto, conseguimos “aquela” reação em cadeia…

Já é suficiente para o cérebro reagir instantaneamente às propriedade aromáticas, e operar verdadeiros milagres!

Ele é capaz de modificar o humor ou até o estado de espírito de alguém.

Sendo assim, é possível que uma pessoa triste ou desanimada fique um pouco mais alegre!

Sim, sim… alguém agressivo pode até ficar calmo e relaxado só de sentir um aroma!

 

O que significa aromaterapia?

A palavra “aromaterapia” vem dos termos gregos “aroma” = odor agradável + “therapeia” = tratamento.

Significa, literalmente, “tratamento através de odores agradáveis”.

 

 

Aromaterapia e a saúde

A aromaterapia leva em consideração diversos aspectos individuais de cada indivíduo e pode ser combinada com vários tipos de tratamentos convencionais ou alternativos.

Sabiam que está sendo estudada na medicina para tratamento de alguns problemas?

Está sendo indicada para as mais variadas doenças, desde dores musculares, dores de cabeça e má digestão, à ansiedade, irritação, passando por indisposição, distúrbios de sono, falta de ânimo, controle emocional, entre outros.

A aromaterapia para algumas dores, é normalmente utilizada através de óleos essenciais, e pode ser administrada através de massagens, compressas, cremes, óleos corporais, banhos ou por meio de aromatizadores.

Aromaterapia - Essências

Essências

 

 

Conheça um pouco mais sobre a história dessa maravilha: a Aromaterapia

As ervas aromáticas já eram utilizadas para fins religiosos, curativos ou estéticos no Egito, China, Índia, Grécia e Roma.

A destilação de óleos essenciais de forma mais refinada e eficiente ocorreu em 1000 d.c., através de Avicena, um médico e filósofo árabe. 

Os alquimistas, no século 16, acreditavam que o óleo essencial era a parte da planta responsável pela cura.

O termo “Aromaterapia” foi usado inicialmente por René-Maurice Gattefossé (biografia em francês: https://fr.wikipedia.org/wiki/René-Maurice_Gattefossé), um químico francês cuja família possuía uma indústria de perfumes. 

Certo dia, enquanto trabalhava em seu laboratório, Gattefossé queimou a mão acidentalmente e mergulhou-a num recipiente contendo óleo essencial de lavanda.

aromaterapia - Essência de Lavanda

Essência de Lavanda

A queimadura curou-se rapidamente, não infeccionou, não produziu bolhas e cicatrizou rapidamente.

Gattefossé ficou fascinado com o feito e procurou estudar mais a fundo as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais.

Em 1928 publicou o livro “Aromathérapie: Les Huiles essentielles hormones végétables” (Aromaterapia: Os óleos essenciais, hormônios vegetais).

 

 

Óleos Essenciais e a Aromaterapia

Os óleos essenciais são compostos puros extraídos de plantas aromáticas através de métodos como destilação, expressão à frio ou enfloragem (método utilizado para retirar o óleo de flores), podendo ser extraídos de raízes, tronco; galhos, resinas, folhas e flores.

Apresentam as seguintes características:

– Concentração 100% natural;

– Consistência oleosa, líquida;

– Altamente voláteis;

– Curativos.

As propriedades terapêuticas dos óleos essenciais variam conforme as partes das plantas, podendo ser relaxante, estimulante ou equilibrante. Quanto à volatilidade, os óleos essenciais podem ser:

– Óleos essenciais altamente voláteis: Estimulam a mente;

– Óleos essenciais de baixa volatilidade: São mais calmantes;

– Óleos essenciais de média volatilidade: Concentram os seus efeitos balanceadores no sistema físico.

 

Tenho certeza que lembraram daquele verdadeiro “Deus Grego” totalmente perfumado, que arranca suspiros por onde passa só com aquele cheiro delicioso que deixa no ar, não é?

Ou pensaram naquele cineminha com uma saborosa pipoca na manteiga que atiça a vontade até dos que não gostam… e já falamos aqui dos diferentes sais que ajudam a temperá-la!

Conte-nos um pouquinho da sua experiência com a aromaterapia no seu dia a dia, e assim, quem sabe podemos nos preparar para uma próxima matéria sobre as essências e seu efeito no ambiente!  

Vamos adorar saber como ela influencia sua vida…

 

 

Fontes:

Significados

Wikipedia

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPrint this page

2 comentários

  1. Danielle Lustosa

    Nossa amei a matéria .
    Parabéns Bella Caiçara.

    1. Bella

      oi Dani!

      Feliz pela sua companhia, acompanhe, novidades sempre!

      Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *